Acerca da lmfl

 

 Fundada na Primavera de 1997, a nossa organização empenha-se em proporcionar formação em música e em línguas estrangeiras a alunos a partir dos 12 anos, sem limite superior de idade.

Organizamos:

Þ                 1.            Cursos residenciais e não residenciais:  os Verões Musicais

Þ                  2.           Cursos de língua e/ou de música adaptados aos requisitos individuais

 

Um projecto baseado numa abordagem da aprendizagem específica:

O nosso projecto de música e língua funciona num contexto que é rico em capacidades individuais, motivação, língua, cultura e gerações. A aprendizagem não deve limitar-se à sua manifestação no desempenho, se bem que este constitua uma parte essencial, mas deve ligar-se intimamente à dinâmica do indivíduo como um todo que é capaz de aprender conforme vai mudando e de mudar conforme vai aprendendo.

 

A nossa premissa linguística: aprende-se uma língua não apenas por aprender, mas também com uma finalidade. A língua é usada para comunicar, para fazer música com outros, para facilitar o desenvolvimento e a promoção profissionais porque queremos tirar prazer do intercâmbio com aqueles com quem escolhemos estar, porque isso nos agrada e porque não queremos viver como “estrangeiros” num determinado país.

 

Aprendemos uma língua para viver e, como o nome da nossa organização indica, para sobreviver.

 

O nosso projecto musical:

Temos uma abordagem dupla:

·                    ·        Música para amadores entusiastas: os participantes necessitam de possuir, no mínimo, o Nível 7 num instrumento. O segundo ou terceiro instrumento pode ser de um nível mais baixo.

·                    ·       Música como melhoramento na preparação de futuros profissionais: preparamos jovens instrumentistas para audição de admissão às Escolas Superiores de Música (Royal College of Music, Royal Academy, Guildhall, ou Conservatoires Supérieurs de Musique, etc....

 

O nosso Curso Internacional de Língua e Música que tem lugar anualmente

 

A fundadora do curso, que teve lugar pela primeira vez em 1998, é Arlette Herrenschmidt, uma amante da música, pedagoga e ex-psicanalista que o prepara com grande cuidado e paixão juntamente com o Director de Música Jean-Luc Borsarello e maestro Matthias Dulack ,  e o Director de Língua Alan D. Moller. Os professores do curso são criteriosamente seleccionados e o curso tem crescido em tamanho e em qualidade desde a sua fundação.

Arlette Herrenschmidt é mãe de 6 filhos . Todos eles tocam pelo menos um instrumento, alguns tocam dois, e todos eles cantam. O mais novo (um engenheiro aeronáutico da Airbus) é compositor, oboísta e cantor.

Todos eles são bilingues (Inglês e Francês), a maior parte tem o Alemão como língua estrangeira, um fala Telugu e Tâmil, outro fala Hindi e Bahasa/Malaio.

 Matthias Dulack Director Artístico

Jaen-Luc Borsarello, Director Artístico

Jean-Luc Borsarello recebeu o seu primeiro prémio de violino no Conservatório Nacional Regional de Toulon aos 14 anos e entrou para o Conservatório Nacional de Música de Paris onde ganhou uma medalha para violino (primeira classe) em Junho de 1968.

É membro da Orchestre de Chambre de Versailles e da Orchestre Lyrique da Ópera de Paris.

É líder do Borsarello String Trio, que tem actuado em França , no Japão, Nova Caledónia, Malásia, Austrália, Alemanha e EUA e fez numerosos CDs.  Jean-Luc Borsarello é membro do pessoal permanente da escola oficial de música em Montgeron. É detentor de um C.A. 

Um professor nato, deu também aulas de interpretação no Japão e na Flaine Summer Academy. 

A personalidade rica, calorosa e afável deste homem de tanto talento reflecte-se na sua música e na sua pintura. 

Jean-Luc Borsarello é pai de 6 filhos , todos eles músicos.

 

Director of Língua: Dr. Alan D Moller

Director de Língua: Dr. Alan D Moller MA (Cambridge), PGCE (Londres), Dip App Ling (Edimburgo).

Linguista britânico de renome especializado num teste de avaliação do nível linguístico usado em todo o mundo para determinar o nível de Inglês.

O Dr. Moller, um funcionário aposentado do British Council , foi Director da Divisão de Ensino de Língua do British Council e nessa qualidade tratou, entre outras tarefas, da inspecção de escolas de línguas de todo o mundo com vista à atribuição da etiqueta de escola reconhecida pelo British Council.

Alan trabalhou em África, em Singapura, na Malásia, e foi adido cultural do Alto Comissariado britânico em Nova Deli, encarregado de organizar a Exposição Henri Moore.

Alan foi examinador chefe do Trinity College de Londres.   Alan trabalha como consultor para escolas de formação de professores de línguas.

 Ele é Presidente da IATQuO, que representa regularmente como moderador na Europa e na Ásia (China, Tailândia, Itália e Espanha). Nesta posição, as suas actividades consistem na moderação dos centros que preparam professores para qualificação como professores de Inglês como Língua Estrangeira (EFL).

Foi recentemente nomeado Presidente de Línguas Estrangeiras pela Comissão Britânica de Exames EDEXEL (Londres).

Pai de três filhos, ele próprio é trilingue (Inglês, Francês, Alemão) e tem alguns conhecimentos de Suaíli e Hindi. Toca violino e canta.

 

Cada um contribui com a sua própria riqueza de conhecimentos específicos e com a sua quota de atenção à qualidade nas suas respectivas áreas do curso.

 

Durante o curso, cada professor espera que os seus alunos trabalhem entre cada uma das lições.

A lista actualizada dos professores com as respectivas qualificações e CVs pode ser enviada por email, a pedido. Os alunos podem escolher os professores com quem gostariam de trabalhar. Na eventualidade de um professor escolhido não poder ensinar no curso por circunstâncias imprevistas, será oferecido ao aluno outro professor apropriado ou um reembolso total no caso de o professor em causa ser único.

 O número de alunos que um professor individual pode ensinar é limitado e se a primeira selecção de professor indicada por um aluno já não estiver disponível, esse aluno será atribuído a outro professor apropriado.

 

No fim do curso, os alunos e professores darão vários concertos públicos.

Pede-se, portanto, aos participantes que tragam consigo roupa apropriada para concerto: camisa branca, laço preto e calças ou saia pretas, ou traje nacional recomendado. Não são fornecidas estantes de música, pelo que é essencial trazer as suas próprias estantes.

  Os concertos serão gravados em cassete de vídeo. Serão postas cópias à disposição dos participantes.

 

O programa de jazz permite que os alunos desenvolvam técnicas de improvisação de jazz e apliquem essas técnicas no contexto e dentro das disciplinas de pequenos grupos de jazz. Todos os alunos recebem lições nos seus próprios instrumentos e têm a oportunidade de tocarem toda uma variedade de estilos musicais em pequenos grupos conduzidos pelos professores.

Todos os professores são professores experientes e também improvisadores de talento.